6 dicas para sua empresa se sair bem na Black Friday

    Negociar previamente o valor dos produtos com o fornecedor e não mascarar as ofertas são duas das dicas

    229

    A Black Friday, ação que promove descontos em vários produtos do varejo online, acontece no dia 28/11. Com o objetivo de limpar o estoque para o Natal, o evento, que está em sua terceira edição no Brasil, tem altas expectativas para este ano. De acordo com o Google, espera-se que o faturamento online na data ultrapasse R$ 1 bilhão.

    Além da alta receita em apenas um dia de venda, os e-commerces que participam da ação têm a possibilidade de atrair e fidelizar novos clientes. Segundo o Google, 3 em cada 10 consumidores da Black Friday voltam ao site para as compras de Natal.

    Rodrigo Borer, presidente do site Buscapé, conhece bem a importância da data ao comercio varejista. Segundo ele, a ação vai ganhar maturidade neste ano, depois de três edições de experiência. “Em 2011, muitos não conheciam a Black Friday. Em 2012, alguns varejistas mascararam os descontos, e as reclamações foram muitas. No ano passado, o mercado reagiu de forma eficiente e, para este ano, as expectativas são muito boas”, afirma.

    Se você está pensando em adotar a Black Friday no e-commerce da sua empresa, confira abaixo seis dicas de Borer:

    1. Não comercialize com uma margem pequena
    Queimar o estoque inteiro com uma margem de lucro muito baixa não é bom.  Por isso, ele deve fazer as contas para saber qual é o desconto que consegue oferecer.

    2. Negocie com o fornecedor
    Vale negociar previamente com o fornecedor os valores e as formas de pagamento da compra. Esse acordo vai delimitar a quantidade de desconto que você dará aos clientes na Black Friday. Quanto menor o valor pago pelo produto e melhores as condições de pagamento ao fornecedor, mais desconto você consegue oferecer no evento.

    3. Não mascare as ofertas
    Aumentar o preço uma semana antes e diminuir no dia não é dar desconto. Além de o cliente perceber a fraude, isso pode queimar a imagem da empresa. Portanto, ou você dá o desconto, ou não dá.

    4. Prepare-se para o pós-venda
    A empresa deve estar preparada para suportar a demanda de pedidos. Isso inclui aumentar tanto os produtos no estoque quanto a equipe que trabalha nele. O setor de distribuição também deve estar organizado, a fim de garantir rapidez na entrega. Por isso, lembre-se sempre: Black Friday não é só vender.

    5. Mantenha a área de tecnologia alerta
    Você negociou o valor do produto com o fabricante, calculou o desconto, aumentou o número de funcionários do estoque e da distribuição, mas não avisou o pessoal da tecnologia. Se isso acontecer, a Black Friday será um fiasco. A empresa tem de alertar a área de TI, que deve monitorar o site, principalmente durante o pico atípico, que acontece na madrugada de quinta para sexta-feira. Fique atento: se a estrutura do e-commerce não estiver preparada, o site sairá do ar.

    6. Chame a atenção do seu cliente
    Prepare uma campanha publicitária com a sua base de clientes. Faça isso por e-mail, pelas redes sociais ou pelo próprio site, dando destaque às ofertas da Black Friday. Vale disparar avisos com as promoções um dia antes.

    Dicas ao consumidor:
    Segundo Borer, o cliente deve ficar atento, principalmente, aos descontos irreais. “Não acredite em ofertas absurdas. Elas podem ser golpes”, afirma.

    Além disso, Borer aconselha pesquisar sobre o e-commerce antes de comprar. “Busque referências do site antes de colocar o número do seu cartão de crédito nele. E acorde cedo. A maioria dos produtos com os melhores descontos acabam antes mesmo de o dia começar.”

    Fonte: PEGN 

     

    Like
    Like Love Haha Wow Sad Angry

    Comments

    comments